Breaking News
Home / Simbolismo Interpretado por Jung / Simbolismo Interpretado por Jung

Simbolismo Interpretado por Jung

5 (100%) 1 vote

A melhor maneira de se abordar o simbolismo e também arquétipos é buscar meios de se explicar o fundamental conceito de inconsciente coletivo!

De forma bastante simplificada, o inconsciente coletivo refere-se a uma parte do nosso inconsciente individual que nada mais é do que resultado de nossas experiências ancestrais.

Isso quer dizer que se permeia por meio de um material psíquico que de fato não provém da experiência de caráter pessoal.

De acordo com Carl Jung, o nosso inconsciente coletivo pode ser comparado ao ar.

Isso porque segundo Jung, o ar consiste em algo que está simplesmente em todo e qualquer lugar, que é amplamente respirado por todo ser vivo e que não é de poder exclusivo de ninguém!

Essa comparação ajuda a conseguir entender como de fato como o simbolismo é algo que orienta o ser humano em diversos aspectos, mas de forma sútil ao mesmo tempo em que intensa e presente!

Vale salientar que o conteúdo psíquico do nosso inconsciente coletivo se refere aos arquétipos, que se referem a uma forma de se pensar de maneira universal, considerada uma forte carga emotiva – que é de fato herdada.

Para ficar mais claro, imagine que os arquétipos são semelhantes à diferentes formas de bolo – é justamente a escolha da forma que dará as características ao bolo depois de pronto!

Quer se aprofundar mais a esse respeito e saber como se dá o entendimento do simbolismo interpretado por Jung? Então continue lendo esse conteúdo!

simbolismo-interpretado-por-jung

Simbolismo na Visão Junguiana

A forma mais assertiva de compreender o que Jung tem a revelar acerca do simbolismo é levar em consideração o conhecimento de suas ideias mais básicas!

Isso porque um de seus conceitos caracterizados como básicos sobre a psicologia junguiana é justamente o de arquétipos.

No caso, Jung considera que um arquétipo refere-se a uma espécie de tendência de caráter abstrato e genérico que se mantém por trás de alguma manifestação.

Nesse sentido, cada aspecto objetivo da nossa realidade tende a expressar um arquétipo – isso pode envolver, por exemplo, nossos instintos sexuais que também são uma forma de expressão do arquétipo de reprodução.

Diante dessa premissa, os seres humanos são justamente produtos de uma manifestação de arquétipos considerados básicos.

A persona refere-se a uma espécie de máscara que tendemos a revelar para o mundo, é uma espécie de proteção ou o que permitimos que outras pessoas tenham acesso.

Já o ego refere-se ao nosso autoconceito, ou seja, o que de fato consideramos como o que representa a nós mesmos.

Há também a sombra, que consiste na soma de nossas qualidades que eventualmente não temos uma boa aceitação, e por isso manifestamos um sentimento de negação.

Em alguns casos essa negação pode fazer com que essas qualidades fiquem mantidas em nosso inconsciente e projetadas em outras pessoas.

No que diz respeito ao animus, ele se refere à uma importante soma de qualidades masculinas que são amplamente contidas no sexo oposto.

Já a anima é justamente o contrário, sendo o lado feminino contido no homem!

E por ultimo, e não menos importante, temos o self, que permite representar a totalidade da nossa psique, o centro de todo o nosso crescimento e também a evolução de cada um de nós!

Portanto, segundo Jung, o simbolismo tende a despertar no ser humano as nossas ideias, bem como emoções mais vagas e até mesmo complexas!

A Importância do Simbolismo

O simbolismo tende a envolver muito o “sentir”, bem como o significado de um determinado objeto, por exemplo, e isso pode mudar livremente de pessoa para pessoa!

Por mais que algo realmente pareça ter o mesmo significado o “sentir” de cada individuo sempre será de fato diferente.

Isso porque o símbolo tende a carregar junto de si o que se revela como inesgotável e uma múltipla variação de sentidos. Isso pode ser tão amplo que até mesmo uma pessoa ao longo de sua vida pode ter resultados distintos.

Isso pode ficar ainda mais evidente quando pensamos em algo que faz parte da realidade da infância, que nada mais é o conto de fadas!

Em uma história de contos de fadas podemos facilmente nos sentir maravilhados com um determinado personagem que nos chame a atenção, enquanto outra pessoa tenha interesse por outro.

Há quem simplesmente tenha um maior encantamento pelos vilões, enquanto outros simplesmente torcem até o final pela vitória já esperada dos mocinhos e mocinhas!

Nesse caso, cada um de nós pode ter um estimulo de afeto diferente diante de contextos como esses e o mesmo pode estar presente na nossa vida real.

Toda essa perspectiva nos faz enxergar como podemos ser diferentes em diversos aspectos e como a receptação de determinados valores e sentidos provenientes do simbolismo pode ter impactos variados!

simbolismo

Porque Usar o Simbolismo

Como dito anteriormente, o simbolismo consiste em um sistema de símbolos ou também formas de expressão que recorrem ao uso de símbolos para indicar ideias e fatos.

Recorrer ao simbolismo é uma forma de se deixar uma grande diversidade de portas abertas para as mais variadas interpretações e é justamente desse ponto que conseguimos ter nossa liberdade de escolhas!

Tudo em nossa vida está atrelado ao simbolismo de certa forma, e por isso recorrer a conhecimentos mais profundos sobre esse aspecto pode ajudar na sua evolução intelectual e emocional!

O Poder da Simbologia

A simbologia é de fato algo realmente poderoso para todos nós e isso fica evidente quando você se aprofunda por meio da psicologia Junguiana – e claro, a melhor de fazer isso é por meio do conhecimento!

Diante desse aspecto, um dos caminhos mais promissores é entender como a Psicologia Simbólica Junguiana tende a empregar a noção dos símbolos para abranger uma dimensão psicológica coletiva e individual!

Um dos caminhos possíveis para tal é conhecer o curso online gratuito do Dr. Carlos Byington, que é formado no Instituto Jung, em Zurique e ao retornar ao Brasil fundou com outros profissionais a Sociedade Brasileira de Psicologia Analítica.

Para poder ter acesso às 33 aulas gratuitas, acesse o site oficial de Psicologia Simbólica Junguiana e se aprofunde mais acerca do simbolismo e sua importância!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *